Whatsapp cede à pressão e pede aval do BC para ser iniciador de pagamentos no Brasil

16/02/2021

Perto de completar oito meses desde que teve seu serviço de pagamentos suspenso pelo Banco Central (BC), o WhatsApp decidiu jogar o jogo do regulador do sistema financeiro no Brasil para poder ter a sua solução liberada novamente o mais rápido possível. À Coluna, a gigante de tecnologia admitiu que tem conversado com o BC para ser classificada como “iniciador de pagamentos”, modalidade criada no fim do ano passado pela autoridade monetária e que pode ser a brecha para que a companhia entre de vez no mercado.

Túnel do tempo. O serviço de envio e recebimento de dinheiro por meio do WhatsApp, que pertence ao Facebook, foi lançado no Brasil no dia 15 de junho. Uma semana depois do anúncio, porém, o BC suspendeu a solução, batizada de “pagamentos no WhatsApp”, alegando a necessidade de avaliar questões de competição e privacidade. Em outubro, ainda sem liberar a solução do aplicativo de mensagens, o BC criou uma nova modalidade de instituição de pagamentos, o “iniciador de pagamentos”, que basicamente estaria autorizado a realizar uma transação financeira de uma conta a outra sem que as duas partes precisem acessar a instituição financeira onde é correntista.

Luz no fim do túnel. Quando a nova modalidade foi lançada, ganhou força a hipótese de que o Whastsapp poderia se enquadrar na categoria. À época, o BC foi questionado sobre e se esquivou, afirmando que cada situação seria avaliada especificamente. No fim do mês passado, o diretor de Organização do Sistema Financeiro do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, admitiu que o Whastsapp poderia ser classificado dessa maneira.

O Whatsapp, que tinha a expectativa de ter seu serviço aprovado ainda no ano passado, decidiu aproveitar a brecha e fez o pedido em dezembro. A expectativa é que o BC dê uma resposta ainda neste semestre.

Fonte: Estadão