18 de Maio: Dia da Luta Antimanicomial Trabalho e saúde mental

18/05/2021


Você, trabalhador, já se sentiu adoecido psicologicamente por conta do trabalho? Já se sentiu excessivamente estressado, ansioso, ou até mesmo depressivo em decorrência do emprego? Já chegou a ser internado ou conhece alguém que passou por essa situação devido ao seu ofício? O dia 18/05 é o dia nacional da luta antimanicomial e estamos aqui para trazer esse assunto à tona.

Mas calma, vamos por partes. Afinal, o que é a luta antimanicomial? O que ela representa?

E o que isso tem a ver com o Sindicato e com o trabalho? Até a década de 1970, era comum e legalizado a existência de manicômios, responsáveis por internar involuntariamente aqueles conhecidos como “loucos”, “incapazes”, “inválidos”, “doentes” etc. Nestas instituições, eram frequentes as práticas violentas, que “assujeitavam” os indivíduos, retirando deles os direitos básicos de cidadão, que caracterizam um sujeito. Dentro destes lugares, as pessoas “loucas” eram excluídas da sociedade, sendo isoladas em um espaço físico, e eram renegados pelas famílias. Daí surge o termo “depósitos humanos” para se referir aos manicômios, que depositavam pessoas que não se enquadravam nos moldes de produtividade da economia.

Na década de 1970, por fim, aconteceu um movimento sócio-político denominado “Reforma Psiquiátrica”, muito relevante até hoje para a sociedade, na forma que se pensa e atua na assistência de doentes mentais. A Reforma deu abertura para as críticas contra o manicômio e o assujeitamento dos indivíduos e instituiu-se então, a importância de uma data para representar essa luta, dia 18 de maio. O Movimento da Luta Antimanicomial faz lembrar que, como todo cidadão, estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direito a receber cuidado e tratamento sem que, para isto, tenham que abrir mão de seu lugar como cidadãos. Assim, criou-se espaço para o questionamento sobre o que é realmente a loucura e o que é considerado normal.

Após muitos anos de lutas pela garantia dos direitos dessa população, historicamente marginalizada, nos encontramos em 2021, com a data 18 de maio se aproximando de nós. Ainda hoje, a instituição do manicômio representa uma ameaça aos direitos como seres humanos, mesmo que mais de cinquenta anos depois da Reforma.

Mas o que essa data tem a ver com um sindicato? Bom, essa é uma resposta bem simples: o oposto do isolamento social que acontece nos manicômios é o acolhimento social, que deve acontecer com a inserção no mercado de trabalho, numa vida política ativa, na comunidade. Isso é responsabilidade social, cultural e política não só do sindicato, mas da comunidade em geral, de forma que é preciso rever as formas de acolhimentos dessas populações. É preciso reconhecer as potencialidades dessas pessoas, que não estão à margem do projeto de Nação, mas que têm capacidade de trabalhar e de produzir. Com essa visão, desde 2004, existem políticas do Ministério da Saúde e da Secretaria de Economia Solidária, do Ministério do Trabalho voltadas para a inserção social por meio de programas de geração de renda.

É importante ressaltar que “essas pessoas”, antes chamadas de loucas, também existem nos nossos cotidianos, nos trabalhos, nas produções de arte. Os “loucos” também existem quando tratamos de abuso nos ambientes de trabalho. Os “doidos” existem quando falamos do desgaste psicológico e emocional no trabalho, sobretudo na pandemia. Quando discutimos sobre os acidentes de trabalho, sobre os aposentados e sobre os que iniciam agora uma vida economicamente ativa, também. Resumindo, os dados por “loucos” historicamente, internados e assujeitados, também adoecem por conta do trabalho. Sendo assim, será que não estamos todos loucos? E quem define o que é normal ou não? Se não trazemos a pauta da luta antimanicomial e da saúde mental no ambiente sindical, perdemos uma de suas funções centrais: de mediar e politizar os meios de trabalho. Caso precise de atendimento, oferecemos o serviço gratuitamente.

Reponda ao forms https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfAKL1JrlAE4bvr27QxGWawkEUdMJq1 htFe2dscwUeQF2J1lg/viewform?usp=sf_link ou procure o departamento de Assistência Social do Sindicato dos Comerciários Rua Formosa nº 99 no 4º andar Texto criado por: Beatriz Muniz; Maria Pini; Milena Caruso; Natália Guimarães (estudantes de psicologia da PUC-SP) Fontes: http://www.ccs.saude.gov.br/memoria%20da%20loucura/Mostra/reforma.html 18/5 – Dia Nacional da Luta Antimanicomial (saude.gov.br) https://www.politize.com.br/luta-antimanicomial-o-que-e/




(11)99144-6564 / WhatsApp do Sindicato (11)99435-5834 / WhatsApp Jurídico